(34) 3269-3443
(34) 9.9674-6678
sac@homeogados.com.br

História da Homeopatia

Home História da Homeopatia

Dr. Carlos Brunini 1993 em seu livro Homeopatia: Princípios, Doutrina Farmácia Ibehe descreve. Cristiano Frederico Samuel Hahnemann nasceu em 10 de abril de 1755 em Meissen, um antiga cidade da Saxônia. Filho dos artesãos Cristiano Godofredo Hahnemann e Joana Cristina Hahnemann. Seu pai o estimulava a praticar “Exercícios de Pensamento”, desde a primeira infância, para que procurasse encontrar por si mesmo a solução de certos número de problemas desenvolvendo o pensamento intuitivo e os limites do raciocínio lógico… Ainda na primeira infância observava os pais no preparo de tintas e esmaltes, o que mais tarde lhe trouxe um gosto especial pela química e alquimia. Já aos 12 anos de idade, a pedido de seus professores, ensina grego aos seus colegas. Aos 16 anos, graças à influência de seu professor de línguas obteve bolsa de estudos na escola Saint-Afre, freqüentada apenas pela nobreza.
Com 20 anos ingressou na Universidade de Leipzig e para se manter dava aulas particulares de línguas estrangeiras e traduzia livros para o alemão.

Concluindo seus estudos teóricos foi para Viena e no Hospital de Misericórdia trabalhou intensivamente na prática médica; envolvia-se inclusive em tarefas diretamente com os pacientes, o que não era comum com os médicos da época; trocava seus curativos, auxiliava na higiene pessoal e conversava escutando seus problemas. Assim delineava a sua vocação; procurava, portanto, ter uma compreensão mais humanitária da situação, aproximando-se das doenças e das pessoas adoecidas.

Em 1781 com 26 anos, começou a exercer a medicina na localidade de Desseau, onde conheceu e casou com Enriqueta Kuealer, que lhe deu onze filhos.

Volta a morar em Liepzing, tornando-se agora um clínico de grande renome e prosperidade com excelente clientela; entretanto a insatisfação com a medicina que exercia era tamanha que faz com que abandonasse a profissão e novamente HAHNEMANN voltou a sobreviver de traduções e aulas, passando a enfrentar grandes dificuldades financeiras, morando com toda a família num minúsculo quarto frio e sem conforto.

Em 1790, ao traduzir um livro de medicina chamado Matéria Médica de Willian Cullen, ficou fascinado com a indagação clínica da quina para tratamento da malária. Culllen um professor de medicina da Universidade de Edimburgo (Escócia) havia dedicado vinte páginas de sua obra às indicações terapêuticas da quina, cujo sucesso no tratamento da malária ele atribuía ao fato dessa substância ser amarga. Insatisfeito com tal explicação HAHNEMANN passou a se perguntar, por que o remédio funcionava tão bem no caso dessa moléstia.

Como HAHNEMANN conhecia o adágio SIMILIA SIMILIBUS CURANTER; “semelhante cura semelhante “(HIPÓCRATES 460 a.C. e faleceu em 370 a.C), decidiu aplicá-lo a essa terapêutica ingerindo quina para ver o que acontecia. Percebeu então em seu organismo uma reação tóxica muito parecida com os sintomas da malária.

Havia, portanto uma identidade entre a doença e o medicamento. Segue com suas palavras, a seguinte descrição: “Para realizar a experiência, tomei duas vezes por dia, 14 gramas de quina. Meus pés e mãos tornaram-se um tanto frias, sentia-me fraco e sonolento, meu coração começou a ter palpitações e uma ansiedade insuportável. Em suma todos os sintomas que são comumente característicos da febre intermitente. Finalmente, parei de tomar a substância e voltei a ter boa saúde”.

A seguir HAHNEMANN experimentou em seus familiares e amigos e notou que o fenômeno se repetia. A sua conclusão foi que, a quina atua na febre malária, porque doses desta desencadeiam sintomas similares da malária. Assim HAHNEMANN comprovou na prática o que Hipócrates havia descoberto séculos antes, ou seja, o mesmo agente que causa uma moléstia é capaz de curá-la. Estava lançado um dos pilares da HOMEOPATIA.

Da mesma maneira que fez com a quina, HAHNEMANN passou a experimentar substâncias conhecidas e a observar como as coisas aconteciam. Chegou a testar cerca de sessenta substâncias; e reúne uma série de estudos minuciosos, com observações detalhadas de sintomas produzidos nas diferentes experimentações de seus amigos.

Em 1805 retornou a prática médica, já como homeopata, com o passar dos anos sua doutrina adquiriu muitos adeptos. Apenas em 1810 HAHNEMANN editou seu livro básico Organon da Arte de curar, nesta obra expôs toda a sua teoria e métodos terapêuticos em 291 parágrafos, fornecendo regras minuciosas para o exame, entrevista clínica e tratamento do paciente. Em 1811 publica o primeiro volume de Matéria Médica Pura; passando a sua doutrina na universidade local. Em 1835 aos 80 anos muda-se para Paris, lá conheceu reconhecimento e glória e recebe autorização oficial do governo francês para exercer a medicina homeopática e faz muitos discípulos.

HISTÓRICO DA HOMEOPATIA VETERINÁRIA

Dr. Flávio Briones Silva, médico veterinário em livro Los Animales y la Homeopatia 2006. A medicina veterinária nasce na segunda metade do século XVIII em uma época em que as grandes epidemias nos animais, como a peste bovina e eqüina assolavam a Europa. SAMUELL HAHNEMANN conviveu com o início dos trabalhos dos primeiros veterinários e observou seu desenrolar com grande interesse e declarou “Se as leis da medicina que eu recomendo e proclamo são certas e naturais, elas também podem ser aplicadas nos animais tão bem quanto no homem”. Foi o próprio HAHNEMANN que em primeiro lugar aplicou medicamento homeopático nos animais, ao tratar com grande êxito o seu cavalo afetado com a enfermidade hoje conhecida como “oftalmia periódica ” usando o medicamentoNatrium muriaticum.

Aproximadamente em 1815 participa de uma conferência na Real Sociedade Econômica de Leipzig intitulada de “A ciência homeopática na cura de animais domésticos”, na qual HAHNEMANN declara que “A medicina veterinária em geral se pratica de modo muito similar a medicina humana” e assegura que “Os animais podem ser curados pelo método homeopático de forma tão segura como pode curar o homem”.

A partir desta conferência o uso da homeopatia em animais teve grande impulso em vários países do mundo.

Dra. Neila Cristina de Freitas Maia
Médica Veterinária Homeopata CRMV-MG Nº MG 3528
Responsável Técnica do Laboratório Veterinário Homeopático CERRADO.